Menina Curiosa

____________________________________________________________

Eu sou a Velha Menina. O meu cabelo é uma teia de aranha com gotas de orvalho...

___________________________________________________

Terça-feira, 16 de Outubro de 2007

Por terras de Sua Magestade

Muito se fala de fuga ao fisco, pagamentos em atraso, dívidas a fornecedores, e outros atabalhoanços financeiros que tais.

Todos conhecem o exemplo daquele Sr. Zé, Manuel ou Joaquim que faz as contas num bocado de papel e só dá factura a pedido do cliente.

Mas esses são o chamado "peixe-miúdo", que o "graúdo" só é comentado quando escândalos financeiros fazem a abertura de um qualquer telejornal.

E comentam os Portugueses com o desânimo que os caracteriza : "Isto nunca se há-de endireitar, se fosse lá fora isto não acontecia."

Não?

Aconteceu-me ter de me deslocar a terras de Her Royal Magesty Queen Elizabeth the II.

Imagem da Internet

Aterrei no nada magestoso aeroporto de Heathrow. Chovia "cats and dogs" e a temperatura estava uns bons dez graus abaixo da que tinha deixado em terras Lusitanas.

Aí começou a minha odisseia: encontrar um táxi para me levar ao hotel.

A maioria dos very british motoristas recusava-se porque o trajecto era curto e não ia compensar (onde é que eu já ouvi isto?).

Valeu-me um dos seguranças do aeroporto, que abordou um taxista com ar decidido, abriu a porta para eu entrar e mandou-o seguir.

Imagem da Internet

O súbdito de Sua Magestade nem se incomodou em desligar o intercomunicador, desabafando a sua frustração em dialecto local, com inúmeras repetições da "f*** word".

Por essa altura eu só queria mesmo chegar ao hotel e tirar a britânica humidade das minhas roupas, fiz de conta que não percebia como boa estrangeira.

E foi então que aconteceu.

Chegámos ao hotel e o mister taxi-driver pediu-me as pounds...sem me apresentar o recibo.

Um funcionário do hotel aproximou-se e perguntou se havia algum problema.

Respondi-lhe em inglês coloquial, que necessitava de um recido da despesa com o táxi e que o seu conterrâneo o estava a recusar.

Aí o façanhudo taxista vocifera em inglês coockney:

"That costs me money, you know?"

What?

Passar um recibo de um serviço prestado custa-lhe dinheiro? E aos outros contribuintes não? Ou serão os impostos dos taxistas  ingleses tão astronómicos que sustentam sozinhos toda a monarquia?

Respondi-lhe que isso era ilegal e que ele tinha de passar o recibo.

"- Ilegal? Só se for no país atrasado de onde veio! Não vou passar o recibo e se insistir levo-a de volta para o aeroporto!"

Aqui não pude evitar uma gargalhada. O imbecil preferia fazer o mesmo trajecto duas vezes recebendo zero, a passar um recibo sobre o valor de uma só corrida.

E no meu País "atrasado", em casos destes chama-se a polícia e o assunto é tratado.

Viva o meu País!

O recibo acabou por surgir, estando o arreliado súbdito de Sua Magestade devidamente enquadrado por dois seguranças do hotel enquanto escrevia...

Tão cedo este taxista não volta àquele hotel...

 

 


 





música: Queen - God Save the Queen

publicado por A Velha Menina às 14:35

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

____________________________________________________________

Eu sou a Velha Menina. O meu cabelo é uma teia de aranha com gotas de orvalho...

___________________________________________________

whoamI

posts recentes

Por terras de Sua Magesta...

arquivos

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


participar

participe neste blog

favorito

Eu nunca tive um Reveillo...

... minha homenagem, prof...

Obrigado...

E quando acaba a relação?

Mulher Fantástica

Amor, ou Nem por Isso?

Promessas, relíquia, vaid...

Porque não acredito em ps...

medo da solidão

Via Sacra da Hipocrisia

pesquisar

 

subscrever feeds